Seminário Nacional NTU: Evento Presencial com transmissão on-line ----LAT.BUS: Evento Presencial

O terceiro ano da pandemia começa com a Covid-19 sob controle e com expectativas concretas de retomada da economia, apesar dos impactos negativos do conflito da Ucrânia. Para o transporte público brasileiro, o cenário ainda é de grandes desafios: mais de uma centena de sistemas de transporte foram impactados pela interrupção parcial ou total de suas operações no período pandêmico, resultado da profunda crise que o setor ainda atravessa e que tem causado perdas da ordem de um bilhão de reais mensais em nível nacional. Prejuízos que persistem, na medida em que a recuperação da demanda, observada no último ano, não conseguiu ainda atingir os níveis anteriores à Covid-19 – e talvez nunca consiga.

Por outro lado, a pandemia também representou muitas lições aprendidas, sendo a principal delas a importância do engajamento do poder público local na garantia da continuidade dos serviços. Os subsídios públicos, prática comum em outros países, foram, pela primeira vez, aplicados em escala significativa no transporte coletivo brasileiro: pelo menos 108 cidades aportaram recursos emergenciais em diferentes formatos aos seus respectivos sistemas de transporte público, medida que teve papel fundamental para prevenir o colapso e evitar o pior.

A separação da tarifa pública ou de utilização do serviço, paga pelo passageiro, da tarifa de remuneração ou técnica, que custeia a prestação do serviço, com a diferença sendo coberta pelo poder público, é um mecanismo previsto na Política Nacional de Mobilidade Urbana até então pouco utilizado, mas que se revelou ser o mais efetivo para manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de operação, melhorar a qualidade do transporte coletivo e, ao mesmo tempo, reduzir o peso da tarifa para o usuário. Mas a adoção dessa solução em larga escala depende de novos arranjos institucionais e jurídicos, novas formas de contratação e financiamento, e, também, de novas fontes de recursos extratarifários, para que o poder público possa obter os meios necessários para cumprir com suas obrigações constitucionais e garantir o direito de ir e vir para toda a sociedade.

Estes são alguns dos temas abordados na 35ª edição do Seminário Nacional NTU, que debaterá este ano os melhores caminhos para se recuperar a demanda perdida e viabilizar um transporte público de mais qualidade, com menor custo para o bolso do passageiro pagante, em benefício da vasta maioria da população que mais depende deste serviço essencial para a mobilidade urbana.

O seminário também reservará espaço para as novas tecnologias, com a programação do COLETIVO, o Programa de Inovação em Mobilidade Urbana da NTU, e painéis sobre novidades, lançamentos e tendências em tecnologias veiculares, combustíveis, sistemas inteligentes de transporte (ITS) e meios de pagamentos. Um dos temas em destaque é a redução de emissões, com a chegada ao Brasil dos novos motores Euro 6, a partir de 2023, e os próximos passos rumo à adoção de uma nova matriz energética para o setor, e a completa descarbonização do ônibus urbano no futuro. Temas complexos, que vêm despertando o interesse de gestores públicos, operadores e fornecedores de material rodante, e que respondem aos anseios da sociedade por um transporte mais sustentável, do ponto de vista ambiental - cuja viabilidade passa pelo engajamento de todos os atores envolvidos, e pela adoção de um novo conjunto de políticas públicas amplas e bem coordenadas.

O Seminário Nacional NTU 2022 acontece em paralelo com a LAT.BUS Transpúblico, Feira Latino-americana do Transporte, o maior evento em mobilidade urbana da América Latina, reunindo todos os segmentos do transporte coletivo urbano, rodoviário e de fretamento do Brasil e da região. A ABRATI (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros), ANTTUR (Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento), FRESP (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo) e a UITP (Associação Internacional do Transporte Público) completam a programação de conteúdo no terceiro dia do evento.

Leia Mais Leia Menos

Programação

09AGO

(terça-feira)

10h/10h30

Abertura oficial do Seminário Nacional NTU

10h30/12h30

Painel 1: “O novo caminho do transporte coletivo urbano” – impactos da pandemia e lições aprendidas; conjuntura atual do transporte público; estratégias de retomada e o resgate da atratividade do serviço; um novo marco legal para recuperar e fortalecer o setor.

12h30

Almoço

14h/15h

Palestra Master: “O transporte público nas eleições – o que pensam e querem os candidatos”

15h/16h30

Painel 2: “O financiamento do transporte público coletivo para além da tarifa” - o desafio da tarifa módica versus serviço de qualidade; cases de sucesso na separação da tarifa pública da tarifa técnica; fontes alternativas de recursos para subsídio ao passageiro (fontes extratarifárias); exemplos internacionais e opções viáveis no cenário brasileiro, baseadas em estudo inédito da NTU

16h30/18h

Painel 3: “Como ampliar a participação de jovens empresários e executivos no setor – a experiência do COMJOVEM” – a criação do Comitê de Jovens Empresários e Executivos do Transporte de Passageiros da FETPESP como estratégia para fortalecer setor, seus processos sucessórios familiares, e trazer mais tecnologia e inovação para empresas operadoras do transporte coletivo de perfil tradicional.

10AGO

(quarta-feira)

10h/12h30

Programação do COLETIVO (Programa de Inovação em Mobilidade Urbana)

10h/11h30

Painel 4: “O futuro da mobilidade urbana pública e coletiva no pós-pandemia”

11h30/12h30

Painel 5: “A inovação como ferramenta para recuperar a demanda, fidelizar o cliente e melhorar a qualidade do serviço”

12h30/14h

Almoço

14h/15h30

Painel 6: “Do Euro 6 à descarbonização do ônibus urbano” – a chegada do padrão Euro 6 em 2023; opções tecnológicas já disponíveis no mercado brasileiro de material rodante e o que vem por aí (chassis elétricos, a gás natural, híbridos, a hidrogênio e outros)

15h30/17h

Painel 7: “Nova matriz energética para a redução de emissões” – eletromobilidade; novas opções de biocombustíveis e aditivos; biodiesel e “diesel verde” (HVO); biometano e outros

17h/18h30

Painel 8: “A evolução dos Sistemas Inteligentes de Transporte (ITS) e Meios de Pagamentos” – novos sistemas de planejamento, gestão de rotas e frotas e monitoramento; tecnologias de transporte público sob demanda e mobilidade como serviço (MaaS); a diversificação e ampliação dos meios de pagamento (cartões contactless, Pix, QR Codes); conectividade, inteligência artificial, big data e blockchain aplicados ao transporte urbano de passageiros

10AGO - Eventos paralelos

(quinta-feira)

10h/12h

ANTPCafé: “Perspectivas para o Transporte Público a partir das Eleições de 2022”

14h/15h

Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana

11AGO

(quinta-feira)

9h/12h

Programação ABRATI / ANTTUR / FRESP "Inovação com foco na sustentabilidade - a evolução do setor rodoviário de passageiros"

14h/17h

Programação UITP

Expositores da Latbus

COMO
CHEGAR

Faça parte
do futuro da
mobilidade
urbana.

Com o objetivo de fornecer um serviço mais personalizado e ágil, armazenamos informações sobre como você usa este site. Esse processo é realizado por meio de pequenos arquivos de textos chamados cookies. Eles contêm pequenas quantidades de informação e são baixados para o seu computador ou outro dispositivo por um servidor deste site. O seu navegador, em seguida, envia esses cookies de volta a cada nova visita. Desta forma, podemos reconhecer e lembrar de suas preferências. Você pode encontrar informações mais detalhadas sobre cookies e como funcionam em nossa página.